10 dicas para quem vive com HIV

dicas-para-manter-as-metas-2016-noticias

Cuidados para soropositivos para o HIV

Para a maior parte das pessoas que tem acesso a tratamentos modernos e sistema de saúde, cuidar do HIV não é só mais uma questão de sobrevivência; é uma questão de qualidade de vida. Mas qual é o real significado de “viver bem”, e quais passos específicos você pode dar para melhorar sua saúde e aumentar sua felicidade tendo HIV?

Aqui você encontra 10 recomendações para melhorar a qualidade de vida tendo HIV, e também aumentar o tempo de vida em si.

Encontre seu propósito

Propósitos
O que move você. Redescubra seus dons e talentos ou tire algum tempo para desenvolver novos. Encontre tempo para ajudar os outros. Essas coisas estão entre as mais importantes citadas pelo nosso médico David Fawcett, Ph.D, para ganhar e manter um senso de controle pessoal que por sua vez pode melhorar sua saúde em geral. No dia do diagnóstico ontem nos desenvolvido lentamente com o passar do tempo pessoas vivendo com HIV muitas vezes repensam seus conceitos acerca do que são. Ter um senso aguçado de propósito está relacionado a menores taxas de stress melhores resultados de saúde e ainda bem estar aumentado, diz Fawcett. Susto, estima e vergonha podem jogar tudo isso para o ar. Porém, os mesmos obstáculos fazem destes passos ainda mais importantes para centrar-se e ganhar autoconfiança.

Pare de fumar

Parar de fumar
Se você fuma cigarros, com certeza já teve viu e ouviu uma grande quantidade de campanhas tentando te ajudar a parar.

Talvez você até já tenha tentado parar mas não conseguiu; talvez sinta que está só aguardando pelo momento ideal; ou talvez até sinta que isso nem é tão importante, ou realista, com todos os outros acontecimentos da sua vida.

Se você se sente assim, não está nem um pouco sozinho.

Em torno de 42% dos soropositivos nos EUA fumam, de acordo com um estudo de 2013, uma taxa duas vezes mais alta do que a população em geral.

Mas se você se importa com a sua saúde( e não estaria lendo isso caso não se importasse), pode ser que não haja nenhum outro passo tão grande a ser dado do que largar o tabaco.

Fumar reduz a expectativa de vida de uma pessoa mais do que HIV em si – e soropositivos que fumam têm um risco muito maior de ataques cardiovasculares, cancer de pulmão e pneumonia do que os HIV-positivos que não fumam.

Uma pesquisa recente diz que há caminhos bem definidos que pessoas com HIV podem seguir para ter uma vida livre de cigarros.

E os cigarros eletrônicos são menos fatais, mas não são a melhor alternativa.

Trabalho árduo

Trabalhar
“Não tenho tido muito tempo ara escrever sobre HIV ultimamente”, diz o blogueiroMatthew Ebert. “Eu não sei o porquê, talvez porque enquanto eu trabalho eu nem sinto que ainda tenho HIV”.

Um empredo sólido não faz bem só para o cofrinho. O trabalho certo pode ser ótimo para o espírito também: Pode ajudá-lo a encontrar um senso de propósito e pode ser bom para a saúde.

Empregabilidade e HIV às vezes não se relacionam muito bem, pricipalmente quando HIV e estigma mostram suas caras feias.

Mas vale lembrar que, no Brasil, discriminação contra pessoas portadoras de HIV é CRIME.

Fique bem-nutrido

COmer certo
Muitas vezes é fácil esquecer da importância que a comida que ingerimos tem na manutenção da nossa saúde. Porém, uma boa nutrição, que consiste em comer as comidas certas nas quantidades certas, pode trazer muitos e muitos benefícios, dentre os quais destacam-se controle de peso, vitalidade, sistema imunológico mais forte e órgãos mais resistentes (incluindo o coração e os ossos). Pode até mesmo ajudar a reduzir a inflamação associada a diversos problemas de saúde relacionados ao HIV.

Médicos diferentes têm diferentes conselhos para soropositivos, mas todos concordam que mudanças na dieta podem ajudá-lo a evitar a necessidade de medicamentos adicionais que podem interagir com a medicação para tratar o HIV, ou causar mais efeitos colaterais.

“Fico sempre feliz quando, ao invés de prescrever mais remédios, conseguimos consertar algum problema de saúde com mudanças de dieta”, diz a médica Joanna Eveland.

Suplementos com cautela

Suplementos
Falando em medicamentos, muitas pessoas consideram vitaminas e, minerais e outros suplementos como sendo parte essencial de suas dietas diárias. Em alguns casos pode até ser verdade- principalmente quando prescritos por um médico, ou se estejam tratando uma deficiência que só exercícios e alimentação não podem consertar.

Experts no tratamento do HIV concordam, no entanto, que suplementos alimentares não são automaticamente uma boa ideia e que é importante conversar com seu médico antes de tomar suplementos enquanto estiver tomando a medicação para o HIV.

Certamente, a combinação certa de vitaminas e suplementos pode complementar uma dieta saudável e  ajudar a afastar efeitos de longo prazo de uma doença crônica. Mas é importante comprar suplementos nos quais você confie, e que você realmente esteja gastando seu suado dinheirinho em coisas que realmente valem a pena.

Sem falar que certos suplementos podem potencialmente interagir com suas medicações do HIV.

Esta é uma das principais razões para conversar com os agentes de saúde no CTA ou seu médico infectologista antes de tomar qualquer coisa.

(Obviamente, tomar suplementos AO INVÉS da sua medicação para HIV é uma péssima ideia, geralmente há alternativas de suplementos que vão poder ser tomadas durante o tratamento do HIV, às vezes até mesmo espaçando a tomada de um e outro).

Lidar com o stress

Stress
É mais fácil falar do que fazer, sim. Stress é uma realidade diária para muitos de nós, e o trauma muitas vezes toma uma parte substancial da vida de algumas pessoas vivendo com HIV.

Não importa se são pequenos problemas diários ou grandes desafios, o stress não afeta somente seu humor como também sua qualidade de vida. Pesquisas mostram que o stress pode até mesmo afetar a carga viral e contagem de células CD4.

Tomar conta da sua saúde mental – dando atenção à ansiedade, depressão, trauma e outros desafios frequentemente vistos em pessoas HIV-positivas – pode ajudar você a controlar melhor o HIV e levar uma vida mais vibrante.

Por isso é importante parar e reconhecer os sinais de stress para então fazer algo quanto a isso e reduzir a carga sobre você.

Para ganhar inspiração e apoio, considere ler as histórias de outras pessoas vivendo com HIV que enfrentaram a ansiedade de cabeça erguida.

 

A saúde como um todo

Saúde geral
É cada vez mais difícil ouvir falar de alguém que acabou “morrendo por conta do HIV”, ou seja, que desenvolveu infecções oportunistas relacionadas à AIDS.

No entanto, quando portadores de HIV têm problemas graves de saúde, geralmente se trata dos mesmos problemas de saúde com os quais todos se deparam: câncer, problemas de coração, danos a órgãos (fígado, rins e ossos) ou outros problemas assim.

Ainda há muito debate acerca do efeito que o HIV em si tem nestes problemas de saúde (apesar de parecer que a inflamação constante tem sua culpa). Mas não há dúvidas de que, fazendo checkups regulares e prestando atenção a sintomas em potencial, é possível prevenir outros problemas de saúde de aparecerem e receber atendimento rápido e eficiente quando quaisquer problemas emergem.

Há uma grande quantidade de conselhos de experts disponíveis e muito a ser aprendido sobre potenciais preocupações que não são consideradas diretamente relacionadas ao HIV.

Primeiro, ame-se

Amar a si mesmo
Todas as pessoas, independente de sua sorologia, merecem estar em relacionamentos cheios de amor e apoio. Relacionamentos abusivos, violentos ou não-saudáveis diminuem a qualidade de vida de muitas pessoas, mas alguns pensam que se deixarem seus parceiros, ninguém mais vai querê-los.

Ter apoio confiável e sem julgamentos pode ter um valor imenso para sua saúde e bem estar, sendo tanto proveniente de relacionamentos amorosos, família, amigos próximos ou grupos de apoio. Tudo começa com a aceitação de que você merece todo o amor e respeito.

Da mesma forma, descobrir como, quando e para quem contar que você tem HIV pode parecer um passeio por um campo minado – mas lembre-se, tudo começa ao encontrar a força que vem de dentro de si mesmo.

Evite outras DSTs

Outras DSTs
Obviamente, o HIV é uma doença sexualmente transmissível (DST). Porém, não é a única doença com a qual um HIV-positivo deve se preocupar.

Ter uma carga viral de HIV indetectável significa que praticamente não existe risco de transmitir HIV para outra pessoa, mas você ainda pode adquirir outras DSTs.

Na verdade, outras DSTs são comuns entre pessoas vivendo com HIV, em especial homens gays. Mas a maior parte delas é de fácil detecção e tratamento.

Não é de todo mal, pois se deixadas sem tratamento ou nem descobertas, muitas delas podem ser sérias; o HPV por exemplo, é uma das maiores causas de HPV em pessoas soropositivas.

Existem ótimas informações e dicas disponíveis para HIV-positivos quanto a prevenção e tratamento de DSTs, sendo você um homem gay, uma mulher ou qualquer pessoa de qualquer outra categorização.

Cuidado com álcool e uso de drogas

Abuso de drogas
Vício e HIV têm um longo bastante íntimo relacionamento. Encontrar uma maneira de separá-los pode ser uma das coisas mais difíceis que um soropositivo tenha que fazer em sua vida. Muitas histórias estão presentes no TheBody.com de soropositivos que tiveram que lidar com abuso de entorpecentes em suas vidas.

Há alguns fatores que podem reduzir a expectativa e qualidade de um HIV-positivo, seja por uso recreativo ou uso pesado de álcool. Por outro lado, a recuperação pode mudar de forma drástica a vida de uma pessoa (bem como as vidas de amigos e familiares).

Há bastante informação na internet quanto a procurar ajuda para o vício, ou como usar de maneira segura, caso voce injete drogas. Para pessoas em grupos gays que usam drogas recreativas também se beneficiariam de organizações de apoio.

Fonte: TheBody.com
Adaptado para a realidade brasileira, tradução livre.

 

Palavras do Derek:

Este texto traz uma grande quantidade de dicas valiosas para que nós, soropositivos, mantenhamos todos os aspectos das nossas vidas sob controle. Desde a parte psicológica que tanto nos afeta até questões mais farmacológicas e biológicas.
Não deixe de lutar pela sua saúde por conta de um vírus que é muito bem controlado com a medicação que tomamos. 
Cuide-se. Estude. Trabalhe. Viaje. Namore. AJUDE(-se).