Carga viral indetectável tomando 3 doses por semana [Atripla, 3em1]

info atripla

Tomar Atripla (ou o 3 em 1) três vezes por semana mantém carga viral de HIV indetectável, estudo piloto descobre

Tomar Efavirenz/Tenofovir/Emtricitabina três dias por semana manteve carga viral indetectável por pelo menos 24 semanas em pesoas que já estavam indetectáveis por pelo menos 2 anos, de acordo com um estudo pequeno de prova de conceito apresentado no ASM Microbe 2016 em Boston, Massachusetts.

Características de início

O estudo, conduzido na espanha, acompanhou 61 indivíduos vivendo com HIV (88.5% homens e 11.5% mulheres) que estavam estáveis com efavirenz/tenofovir/emtricitabina e tinham carga viral abaixo de 37 cópias/mL por pelo menos 2 anos antes de se registrar para o estudo. Todos os participantes tinham contagem de CD4 acima de 30 no início do estudo, e ninguém tinha falha virológica previamente documentada, no entanto, um único blip entre 50 e 200 cópias/mL foi permitida para inclusão no estudo, de acordo com o autor líder Esteban Martinez, M.D., Ph.D.

Os participantes também não tinham evidência de resistência ao Efavirenz (Sustiva, Stocrin), tenofovir ou emitricitabina.

Os voluntários foram randomizados a ou continuar tomando o medicamento uma vez por dia ou reduzir seu tratamento para três vezes por semana (segundas, quartas e sextas), metade em cada grupo.

A carga viral foi mensurada antes de iniciar, na semana 12 e na semana 24, mas mais detalhadamente no grupo que tomava 3 vezes por semana nas semanas 1,2,4,6 e 8.

A maior parte dos participantes da coorte eram homens (89%); aproximadamente 2/3 eram Caucasianos (brancos), enquanto os demais voluntários eram Hispânicos; e 3/4 dos participantes do estudo eram HSH (homens que fazem sexo com homens). A idade média era de 48 anos.

Resultados

Depois de 24 semanas, havia ZERO falhas de tratamento em ambos os braços do estudo, e com 333 medições de carga viral, nenhuma ficou acima das 37 cópias por mL, sugerindo que tomar terapia antirretroviral (pelo menos no caso do Efavirenz/tenofovir/emitricitabina) 3 dias por semanas poderia ser uma opção alcançável para manter cargas virais indetectáveis.

A adesão ao tratamento foi medida com questionários padrão e contagem de comprimidos, e a taxa geral ficou num bom patamar, de acordo com Martinez. Os cientistas tinham a preocupação de que o grupo que tomaria 3 vezes por semana não conseguisse se ajustar à nova rotina, e às vezes, os pacientes perdiam doses, mas cada um deu conta de seguir a nova rotina usando calendários de smartphones ou outros equivalentes, ele disse.

Devido aos resultados excelentes, os pesquisadores pediram ao comitê de ética para estender o estudo para 3 anos, diz Martinez. Quando questionado sobre satisfação dos pacientes, Martinez diz que todos os pacientes que tomavam somente 3 vezes por semana estavam extremamente satisfeitos e ninguém queria voltar para a dosagem diária. Na realidade, os participantes que estavam tomando o medicamento todos os dias queriam passar para o grupo de 3 vezes por semana.

Dados sobre o reservatório viral dos participantes não foram incluídos no poster do estudo apresentado no ASM Microbe 2016. No entanto, Martinez acrescenta que os reservatórios foram mensurados usando DNA total e integrado, e os reservatórios de todos os pacientes permaneceram estáveis durante o estudo.

Quando perguntado quão aplicável estes resultados seriam em cuidados clínicos atuais dado o diminuído uso do Efavirenz, Martinez diz que, enquanto o uso do Efavirenz está diminuindo em países de primeiro-mundo, ainda é extremamente usado em países em desenvolvimento (como o Brasil). Os resultados do estudo confirmam o potencial para doses da terapia serem mais espaçadas do que 1 vez por dia, Martinez conclui.

Fonte: http://www.thebodypro.com/content/77753/taking-atripla-three-days-a-week-maintains-undetec.html?ic=hpres