Teremos Dolutegravir SIM

dolutegravir-no-sus

Dolutegravir em primeira linha: é muito amor

Não sei nem descrever o que eu sinto nesse exato momento, depois de saber que o Dolutegravir vai ser ofertado a partir de 2017 em primeira linha. Provavelmente é a melhor notícia desde o início do meu tratamento com Efavirenz, que me deixou no chão, quase literalmente no chão.

Houve uma série de ótimas notícias desde o meu diagnóstico, até porque tudo o que eu descobria se tornava uma ótima notícia quando comparado ao que eu sabia. Primeiro, descobri que eu poderia ter uma expectativa de vida normal. Depois, consegui entender que resistência aos medicamentos só acontece com má adesão aos mesmos e assim não seria iminente. Mais tarde, soube que eu poderia tomar apenas um comprimido por dia para tratar o HIV. E depois descobri que eu nem sequer poderia transmitir o vírus sexualmente.

Com o tempo, a gente começa a priorizar o que é real. Sendo assim, meu objetivo não é tirar o HIV de mim, porque isto não é real ainda, infecção por HIV não tem cura. Eu só quero viver a melhor vida possível COM HIV, e sim, isto se relaciona intimamente com o medicamento que eu tomo todos os dias.

Felicidade em contexto

Eu fui muito mais feliz no meu diagnóstico do que alguém que descobriu ter HIV em 1985, pois eu não morri. Fui mais feliz do que os de 1990 porque não tive que tomar altas doses de AZT, que nem evitava a progressão da doença. Fui mais feliz do que os de 1996 que mesmo com terapia tripla sofriam de uma enormidade de efeitos colaterais, mas já podiam sobreviver por tempo indeterminado com o advento dos inibidores de protease. Fui mais feliz que muitos soropositivos na história, quando se olha para diagnóstico e prognóstico.

Os próximos soropositivos serão mais felizes do que eu, e eu fico extremamente feliz por eles.

Eles não precisarão tomar o 3 em 1 com Efavirenz em primeira linha, que funciona muito bem em quem não adquiriu vírus resistente de alguém que não tomou seus medicamentos da maneira correta.

Dolutegravir para quem?

Claro que aqui eu me refiro às pessoas que, assim como eu, têm ou tiveram todos os efeitos colaterais possíveis do Efavirenz. Muita gente toma o medicamento, tem uma tonturinha e alguns sonhos por alguns dias e depois vive a vida normalmente sem sentir mais nada.

Me refiro aos que não conseguiam caminhar direito tamanha a embriaguez causada pelo Efavirenz. Falo dos que tiveram ondas de calor no corpo e rosto depois de tomar a medicação. Aos que apresentaram rash cutâneo no corpo inteiro. Aos que ficaram lesados por um mês. Aos que acordaram assustados por meses e meses. Aos que puderam contar nos dedos as noites bem dormidas. Aos que tem que esperar o estômago roncar para tomar o medicamento pois a mínima quantidade de comida aumenta os níveis de Efavirenz e acaba com o dia seguinte. A esses que me refiro: os “intolerantes” ao Efavirenz.

Eu já havia tentado trocar a medicação com meu médico não-infectologista, mas não aceitei tomar Kaletra + Biovir. Não queria o risco de diarreias, gosto metálico e lipoatrofia. Preferi minhas noites meio mal dormidas mesmo. Preferi esperar por este dia. Agora sei que é só uma questão de tempo. Agora sei que o Brasil vai continuar tentando me dar qualidade de vida.

Efavirenz é excelente para muitos, e péssimo para outros

Não me entenda mal, o Efavirenz contando no 3 em 1 é excelente para supressão viral, para deixar o HIV quietinho e indetectável no sangue. E traz todos os benefícios possíveis.
Para quem já toma o 3 em 1 e não sente efeitos colaterais, consegue dormir bem, acorda bem, não apresenta embriaguez, nem calorão e não perde doses por medo dos efeitos colaterais NÃO HÁ NECESSIDADE DE TROCA. Você não vai ter nenhum benefício a mais, nem se sentir mais maravilhoso. Na verdade, pode ser que você passe ater efeitos colaterais com Dolutegravir que não tinha com Efavirenz.
A regra é clara: “If it ain’t broke, don’t fix it”
> Se não está quebrado, não arrume.
Vai ter que tomar 2 comprimidos todos os dias. Vai ter que continuar fazendo exames de rotina, até porque vai continuar tomando Tenofovir, que é o medicamento que pode causar um pouco perda óssea e diminuição da função renal.

O novo medicamento é para os que estão começando não levarem aquela pancada gigantesca nas primeiras semanas, para pessoas resistentes às medicações existentes e muito provavelmente para pessoas que não suportam mais o medicamento pois continuam tendo efeitos colaterais.

O todo poderoso

Dolutegravir é um medicamento antirretroviral extremamente potente. Com meia-vida extremamente longa mesmo em baixas dosagens de 50mg. Alta barreira a resistência. Baixíssima taxa de efeitos colaterais.

E há estudos que apontam que este é um medicamento tão singular que num futuro próximo nem precisaremos aliar o Dolutegravir ao Tenofovir, assim nos livramos dos efeitos colaterais deste também e ficamos praticamente sem toxicidade alguma. Vamos tomar apenas Dolutegravir e Lamivudina, esta segunda conhecida por não causar quaisquer efeitos colaterais e ser genérica.

Algumas pessoas não vão tolerar o Dolutegravir, cada indivíduo é diferente. Mas com certeza este medicamento muda completamente a história das diretrizes para o tratamento do HIV em primeira linha, ou seja, para pessoas iniciando o tratamento.

É muita coisa para falar em um só post. Isso que eu nem me encaixo nas diretrizes para tomar Dolutegravir. Que são:

  • Estar iniciando terapia antirretroviral; ou
  • Se resistente aos medicamentos atuais.

Mas não me interessa. Eu vou buscar os meus direitos.

Nem acredito que ano que vem vou poder jantar sem medo.

Que vou poder dormir sem sonhar.

Que vou poder acordar bem.

Beijos, Brasil.