Pesquisadores mapeiam melhores combinações para o HIV

fig4

Escolher a combinação certa de antirretrovirais (ARVs) para os pacientes pode ser um desafio.

Pesquisadores no Canadá fizeram uma revisão sistemática e meta-análise da rede para quais combinações funcionariam melhor.

fig4

O autor chefe é o Steve Kanters, PhD, da Precision Health Economics em Vancouver, BC, Canadá, e seus colegas. A revisão foi publicada online no The Lancet HIV em 6 de Setembro de 2016.

“O propósito deste estudo foi usar uma meta-análise da rede para avaliar a eficácia e segurança comparativas das combinações de antirretrovirais disponíveis no momento para o tratamento do HIV em pessoas virgens de tratamento,” dizem os revisores. Eles também acrescentam que uma única análise permite uma visão abrangente de uma doença por completo, o que poderia informar diretrizes clínicas.

Em 2013, a Organização Mundial de Saúde (OMS) atualizou suas diretrizes, e os autores diziam “a combinação de ARVs recomendada consiste de dois inibidores da transcriptase reversa necleotídeos ou nucleosídeos (ITRN) e também um inibidor da transcriptase reversa não análogo de nucleosídeos (ITRNN).”Continuam ainda dizendo especificamente que ,”A combinação de Efavirenz, Tenofovir e emtricitabina ou lamivudina é a opção preferida.”

Trocar efavirenz por dolutegravir? Veja esta pergunta respondida aqui.

Os revisores incluíram um total de 126 estudos em sua análise,e relatam que, “Na maior parte, os ensaios clínicos eram de boa qualidade e com baixo risco de tendenciosidade. Depois de conduzir múltiplas análises, comentam, “embora o efavirenz + dois ITRNs como backbone continue sendo uma combinação segura e eficaz, outros tratamentos são, em alguns aspectos, comparativamente superiores.”

Por exemplo, o dolutegravir pode ser superior ao efavirenz em sua dose padrão, e o efavirenz em dose baixa (400mg) é, em alguns casos, superior à dose padrão do Efavirenz. Os revisores dizem, “Há várias implicações e considerações acerca destes achados.” Enquanto as diretrizes da OMS possam ser atualizadas, os pesquisadores apontam para o fato de que “a complexidade do tratamento também deve ser considerada.”

A facilidade na dosagem e exames necessários antes da administração de medicamentos poderia fazer combinações diferentes mais complicadas. Os autores dizem, “Apesar da melhor eficácia e tolerabilidade, problemas existem acerca da viabilidade e do dimensionamento de ter dolutegravir em primeira linha” incluindo a logística e problemas clínicos.

“Em conclusão, nossa revisão sistemática da literatura encontrou que entre os virgens de tratamento, o uso de inibidores de integrase mais dois ITRNs, em especial o dolutegravir e raltegravir, tem eficácia e tolerabilidade superiores a combinações que utilizam o efavirenz maios dois ITRN, e que a dose reduzida do efavirenz é não-inferior à dose padrão do mesmo,” dizem os pesquisadores.

Fonte: hcplive.com
Escrito por: Dava Stewart

Pode ser que você também queira ler:

Efeitos colaterais do efavirenz e suicídio

E o Dolutegravir pra quem sofre com Efavirenz?